Tuesday, November 29, 2005

Lá fui ver o Harry Potter (daqui por diante referido como GoF - Goblet of Fire).

Foi bastante bom para quem já leu os livros e conhece bem a história, para os outros, há coisas que podem ser confusas. As principais cenas e cenários estão muito bem e dão um bom suporte visual para os livros. Os actores fazem um bom trabalho e os efeitos especiais são excelentes (o dragão, o navio de Durmstrang e a carruagem voadora estão excelentes). Os miúdos estão a crescer, nota-se e é apropriado.

A minha favorita é a Hermione. Ela tem sentimentos muito fortes pelos seus amigos e não tem medo de os mostrar. Ela é sensata (enquanto que o Ron, citando o Harry é um 'git'), ela é segura de si mesma.. E falando de pessoas seguras de si, a Ginny sofre uma evolução muito grande. Apesar de ter poucas falas, quando fala é muito parecida com a Molly (quando repreende os gémeos) e a sua atitude no Baile é confiante e segura. A JKR está a prepará-la para outros voos...

O Ron é...é difícil descrever. Acho que o Ron é uma personagem muito importante nos livros. Ele é o termo de comparação do Harry com a normalidade do mundo dos feiticeiros (isso existe?) e também o fiel companheiro. No filme ele é reduzido ao chamado 'comic relief', o cómico. É uma sombra. Até quando discute com o Harry ('piss off', mas que linguagem é essa?!) ele é...fraco é a palavra que se me sugere. Passa a maioria do filme a olhar de boca aberta para o Harry ou para a Hermione. Uma última nota: mas que raio de penteado é aquele??!!

O nosso herói não é diferente do livro. É só que no filme, o modo como toda a gente lhe dá conselhos e o manda fazer isto ou aquilo e a sua incompetência (no sentido de que ele não consegue realizar nenhuma das tarefas por si próprio e mesmo no duelo final com o Voldemort, é o Priori Incantatem que o safa) é mais evidente do que no livro. A reacção dele à Cho Chang é gira e própria da idade. A reacção dele à morte do Cedric é também um bom momento. Normalmente, os miúdos actore têm mais dificuldade em representar sentimentos extremos (raiva, desespero...), mas o jovem Daniel vai de encontro às expectativas. Já o tinhamos visto no 'Prisioneiro de Azkaban', quer quando descobre o envolvimento dos Sirius (o seu padrinho) na morte dos seus pais, quer quando encontra o Sirius cara a cara pela primeira vez, a raiva está lá. Agora vemos o seu desespero e culpa quando regressa a Hogwarts com o corpo do Cedric. É um momento pungente e muito dramático que ele consegue representar muito bem, o que joga a favor do actor, uma vez que, nos livros nós estamos dentro da cabeça do Harry e nos filmes só as acções dele nos dizem o que pensa ou sente.

Muito pouco Sirius, muito pouco Malfoy (embora a cena escolhida para este úlyimo seja uma das melhores do livro, Malfoy o fantástico ferrão voador!) e uma boa galeria de actores secundários. A Fleur precisava de ser um pouco mais altiva, o Krum está perfeito, o Cedric é giro (pena estar morto) e a MacGonnagal a ensinar valsa fez-me partir a rir. O Neville é uma personagem muito boa que teve mais tempo de ecrã neste filme, felizmente não apenas como um idiota, tropeça-nos-próprios-pés desastrado.

A história de Durmstrang ser uma escola para rapazes e Beauxbatons, uma escola para raparigas foi um bocado decepcionante (no livro são escolas mistas)...e sexista.

O tique do Barty Crouch Jr. com a língua lembrou-me uma personagem do X-men que é meio sapo. Talvez o Trevor tenha tomado banho na poção Polijuice?...

Os restantes personagens, na essência cumpriram o seu papel sem desvios de nota.
Cena favorita: O Harry e a Myrtle na casa de banho dos prefeitos.

Pior cena: O ataque dos 'death eaters' na taça do mundo de Quidditch. Quem já leu sabe que acontece, porque acontece e quem está por detrás do ataque, mas os neófitos devem ficar completamente perdidos. Além disso, a cena é demasiado compactada.

Esperemos que no 5 e no 6 as coisas corram melhor, uma vez que não são tão cheios de acção como este.

Prémios especias:
- As entradas das escolas estrangeiras no Salão de Hogwarts, com toda a pompa e encenação (os machos de Durmstrang com os seus bastões e as donzelas suspirantes de Beauxbatons)
- Malfoy, o ferrão.
- O início do baile, primeiro com a valsa e depois com música mais 'actualizada' (seriam os 'Weird Brothers'?)

No seu todo foi um bom filme e não dou o dinheiro por mal empregue (felizmente tenho desconto de estudante, hahaha!).

Nota final - Não há uma única personagem inglesa que pronuncie Beauxbatons correctamente e o uniforme normal das meninas francesas fá-las parecer assistentes de bordo. Ainda no guarda-roupa, os death eaters pareciam membros do 'outro' KuKluxKlan.

PS - Caliope, esqueci-me de te devolver o CD do 'Eldest'. Devolvo-te quando formos ao japonês.

3 Comments:

Blogger caliope said...

isto é que é interactividade! :)
sabes...adorei ir ver o filme com voçês! :)

8:37 AM  
Blogger AlarmClock said...

Passados muitos dias depois da crónica ter sido colocada, apenas agora consegui vir cá ler...
Não sou um fã incondicional do Harry Potter, mas ainda li até ao Goblet of Fire, agora resta-me um ano para ler o Harry Potter and the Order of the Phoenix.
Acima de tudo gostei do filme, acho o bem feito para apenas 157 minutos de filme. Tinham de cortar muitas coisas, mas o essencial está lá. As prestações dos actores foram boas.
E como a Hermione diz no final do filme "Everything will be diferent now..." e em pricipio, até os actores vão mudar :)

Agora, aguardamos a crónica as crónicas de Narnia, outro livro adptado ao cinema.

Beijos para a minha linda Luce

2:35 AM  
Blogger Filipe Sataridis said...

Sabes, parece-me que temos certas coisas em comum. Normalmente, quando me dirijo a estranhos faço linguagem mais cuidada, mas acho que não é necessário. Sou do blogue das Rosas de Lava. Filipe.
Talvez gostasses de ir procurar por um grupo musical, os Dazkarieh, se não conheces. Gosto deles, e talvez também tu gostes. Tou a escrever um livro, só para que saibas. Comunica.

1:30 PM  

Post a Comment

<< Home